Menu

A imensa rede do Bem

Visão Mundial comemora 65 anos no mundo e 40 no Brasil como a principal agência de apadrinhamento de crianças do planeta. A organização atende comunidades pobres em todo o Brasil, com uma rede de voluntários e parcerias.

No conturbado mundo do pós-guerra, em 1947, um dos maiores dramas era o das crianças em situação de risco. Particularmente no Oriente, devastado pelos conflitos envolvendo o Japão, a China e Coreia, milhões de meninos e meninas estavam entregues à própria sorte, na orfandade e vivendo na mais absoluta miséria. Foi nesse contexto que o pastor americano Robert Pierce encontrou a pequena Jade, cujos pais morreram. Ela vivia de maneira precária em um orfanato na ilha de Xiamen, próxima a Taiwan, e já não tinha praticamente o que comer. Bob, que além de ministro evangélico era correspondente de guerra, deu à professora alemã Tena Hoelkedoer, responsável pelo abrigo, os últimos cinco dólares que tinha na carteira. Porém, fez um trato: o de enviar, todos os meses, quantia equivalente para ajudar a manter Jade. 

Assim nasceu o sistema de apadrinhamento infantil que hoje é referência mundial e ajuda a prover educação, alimentação, vestuário e outras necessidades básicas a milhões de crianças carentes ao redor do mundo. É através da Visão Mundial (WV, ou World Vision, em inglês), fundada por Pierce em 1950, que pessoas de mais de 90 países têm a oportunidade de proporcionar oportunidades a crianças que, de outra forma, sequer sobreviveriam. Nas regiões mais pobres do globo – Ásia, América Latina e África –, a WV desenvolve uma série de ações humanitárias, que vão desde o socorro emergencial em catástrofes como terremotos, secas prolongadas e conflitos armados, ao fornecimento de microcrédito para pequenos produtores, montagem de cooperativas de trabalho, construção de cisternas e sistemas de irrigação, distribuição de suprimentos e formação profissional, além de diversas atividades na área de educação e cultura, fomento social e desenvolvimento comunitário.

Combater a fome é uma das prioridades da organização. Por isso, a WV especializou-se em iniciativas que vão desde o incentivo à pesca e o tratamento da água à distribuição de sementes e transmissão de conhecimento acerca de técnicas agrícolas e melhor aproveitamento do solo, em lugares tão diversos como o Sudão, a Índia e o Brasil. Em nosso país, a organização marca presença desde 1975 e conta com 72,5 mil padrinhos. Cada um deles contribui com cerca de R$ 50 mensais, o suficiente para manter uma criança na escola, recebendo alimentação adequada, suporte familiar e comunitário, e a salvo de situações de risco. Para comemorar os 40 anos da entidade no país, a Visão Mundial Brasil recebeu a embaixadora internacional da Visão Mundial e filha de Bob, Marilee Pierce, que conversou com exclusividade com CRISTIANISMO HOJE (ver entrevista a seguir).

VALORES CRISTÃOS

Durante todo o ano de 2015, diversas comemorações da data foram feitas em Brasília, Fortaleza, Recife e São Paulo. Em novembro, além de cultos e eventos comemorativos no Rio de Janeiro, a Visão Mundial recebeu a Medalha Pedro Ernesto, conferida pela Câmara de Vereadores em reconhecimento aos serviços prestados à sociedade brasileira. Ao longo de 2014 – o último ano com dados totalizados –, a Visão Mundial desenvolveu ações focadas em proteção infantil, educação, mobilização política de crianças e adolescentes e oportunidades econômicas para jovens e famílias, beneficiando quase 200 mil pessoas diretamente e outras 500 mil de maneira indireta em dez estados, com foco no Nordeste, onde os indicadores de risco social são mais agudos.

“Nossa principal maneira de atuar é estabelecendo parcerias com as comunidades mais vulneráveis e desenvolvendo com elas ações para a melhoria do local, considerando as especificidades de seu contexto”, explica a diretora de Mobilização da Visão Mundial Brasil, Maria Carolina da Silva. Assim, se a maior carência em determinada comunidade é na área de saúde, a entidade direciona recursos e mobiliza grupos e órgãos públicos para melhorar o quadro. Crianças e adolescentes são prioridade. “Oferecemos aulas de informática, teatro, música, esportes, oficinas de saúde, proteção contra o abuso e exploração sexual, participação e monitoramento de políticas públicas, entre outros”, explica Carolina. “Motivados por valores cristãos, nos dedicamos a trabalhar com as pessoas mais vulneráveis, independentemente de religião, raça, grupo étnico ou gênero.”

Embora seja um dos principais campos de atuação da WV, o Brasil também colabora na captação interna de recursos, seja por meio do apadrinhamento de crianças, doações únicas ou de ações específicas como as campanhas “Doe para uma causa” e “Catálogo de presentes”. Já nações ricas, como Austrália, Estados Unidos, Canadá e Itália, entre outras, participam da captação de recursos destinados a países cujos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) são muito baixos e necessitam de ajuda internacional. Gozando de grande credibilidade internacional em função do rigor de suas contas, que são submetidas a auditorias externas, e de status consultivo junto à ONU, a Visão Mundial tem demonstrado, ao longo dos últimos 65 anos, a capacidade de ação e a solidariedade de cristãos do mundo todo. O Reino de Deus agradece! 

VISÃO MUNDIAL NO BRASIL

- 700 mil pessoas foram beneficiadas em 2014

- 72,5 mil são os padrinhos no país

- 50 reais é o valor médio das doações mensais

- 35 são os Programas de Desenvolvimento mantidos pela entidade

 

ENTREVISTA COM MARILEE PIERCE

Em visita ao Brasil, a embaixadora internacional da Visão Mundial diz que a ação não pode ser separada da oração. Para Marilee Pearce, cristãos precisam lutar contra as injustiças sociais.

Embaixadora internacional da Visão Mundial, a americana Marilee Pearce Dunker percorre várias regiões do mundo incentivando o trabalho em favor dos mais pobres, a parceria entre igrejas e organizações cristãs e o anúncio do Evangelho de Cristo da maneira mais prática possível. Sua motivação para esta obra vem da infância, já que é filha do fundador da entidade, Bob Pierce. Marilee foi a convidada especial das comemorações dos 40 anos da organização no Brasil e falou com exclusividade a CRISTIANISMO HOJE:

CRISTIANISMO HOJE – Qual é a impressão que a senhora, como estrangeira, tem do Brasil?

MARILEE PIERCE DUNKER – O Brasil é um bonito e diversificado país, assim como os Estados Unidos. Aqui, como lá, quem vive nas áreas mais prósperas não toma conhecimento dos desafios à sobrevivência que seus concidadãos enfrentam em outras regiões. Hoje, após 40 anos, a Visão Mundial está trabalhando nas áreas mais pobres do Brasil, fazendo a diferença para salvar vidas de dezenas de milhares de crianças e famílias. Em 2011, estive no interior de Alagoas para ver o trabalho da Visão Mundial para minorar os problemas decorrentes da seca e da miséria depois de passar uma semana no Rio de Janeiro, desfrutando de suas belezas e de todo conforto. O que vimos nos chocou demais. Acontece que não podemos mudar aquilo que não vemos. Eu acredito que a Igreja brasileira está cheia de pessoas generosas e solidárias que querem se deixar usar por Deus para fazer a diferença. Mas temos de ver as necessidades e decidir agir.

E qual é a maneira certa de agir?

Há muitas maneiras de Deus chama o seu povo para se envolver na luta contra o sofrimento deste mundo. A primeira, claro, é a oração. Isso pode parecer uma simplificação excessiva – mas a oração é a nossa maior arma. E devemos disciplinar nossas vidas a praticá-la em uma base diária. As batalhas que enfrentamos não são contra a carne e o sangue, mas contra principados e potestades espirituais. Meu pai dizia: “Só porque você não pode fazer tudo para todos, não deixar de fazer alguma coisa”. Todos nós podemos fazer alguma coisa. Como cristãos, não devemos desviar ou permitir que nossos corações fiquem endurecidos. A nossa força só será totalmente sentida neste mundo quando nos movemos como um corpo.

O que a Visão Mundial tem feito diante do drama dos refugiados, uma das mais graves crises humanitárias dos últimos tempos? 

Mais de 2 milhões de pessoas na Síria, Líbano, Jordânia e Iraque já receberam suprimentos, água potável, itens de higiene, comida e ajuda médica através de doações generosas de igrejas parceiras e apoiadores da Visão Mundial. Estamos também fornecendo ajuda na Sérvia, distribuindo alimentos e artigos de higiene para ajudar as famílias que fogem para salvar suas vidas. Como uma organização focada na infância, nós criamos programas que incluem educação suplementar, além de um lugar seguro onde eles podem brincar e se recuperar de cicatrizes emocionais.

Sendo uma entidade de orientação cristã, até onde a Visão Mundial separa a ação social do proselitismo religioso?

Meu pai fundou a missão para revelar o amor de Deus e cuidar das viúvas e dos órfãos em suas dificuldades, alimentando os famintos, defendendo que não têm voz e ganhando o direito de partilhar a nossa fé. A coisa mais significativa qualquer cristão pode fazer é compartilhar a boa nova do Evangelho com os outros. Isso é o que Cristo disse a seus seguidores.  Mas há muitas maneiras de compartilhar o amor e a esperança de Deus neste mundo. Durante os primeiros 40 anos de nossa história, tínhamos uma abordagem evangelística forte no nosso ministério. E, em muitos países, como o Brasil, onde a Igreja é forte, nós ainda procuramos maneiras de fazer parceria com os ministérios e igrejas locais para compartilhar o Evangelho e servir os pobres.

A senhora acredita que há esperança para o mundo?

Claro que sim! Eu acredito que Deus está chamando um exército de guerreiros espirituais na juventude de hoje, como ele fez com a geração de meu pai. As ações que hoje são feitas, em parceria com a Igreja do Senhor, para revelar ao mundo o amor e o poder de Deus são uma das razões porque eu, pessoalmente, tenho esperança. A cada dez segundos, uma criança morre de fome em algum lugar do mundo. Sei que nunca faremos o que é suficiente, mas, pela graça de Deus, estou fazendo o que posso.

 

APADRINHAMENTO PELO CELULAR

A Visão Mundial é a maior instituição de apadrinhamento do mundo. Em seus 40 anos de atuação no Brasil, a organização cristã já exerceu 77 programas de combate à pobreza infantojuvenil em quase 900 comunidades. Atualmente, cerca de 72,5 mil padrinhos contribuem regularmente com a Visão Mundial, que agora está abrindo uma nova oportunidade – e ainda mais fácil – para quem deseja participar desse ministério. Basta enviar basta enviar uma mensagem de celular, via SMS, com a sigla VMB, para o número 27368. Com 50 reais por mês, o padrinho atende às necessidades de uma criança ajudada pela Visão Mundial.

A organização trabalha na transformação do ambiente em que a criança e o jovem estão inseridos, para assim garantir a eles a sua proteção e inserção social. A Visão Mundial também atua em situações de emergência com ações pontuais, como doações para as vítimas do terremoto no Nepal, em maio de 2015, e para a campanha Criança sem Fome. Realizada no Dia da Alimentação, 16 de outubro, a campanha arrecadou aproximadamente 15 mil reais para garantir as refeições das crianças no Quênia. Quem quiser mais informações sobre a Visão Mundial Brasil e outras formas de colaborar pode acessar o site www.visaomundial.org.br.

voltar ao topo