Menu

Ex-mulher de homem que assassinou 10 garotas em escola conta como Deus curou sua vida

Ao contar sua história, ela reconhece que já havia encontrado na fé seu caminho de salvação, mas tudo que ocorreu depois fez crescer sua confiança absoluta no Senhor.

A ex-mulher de um homem que disparou contra dez meninas, em um tiroteio dentro de uma escola no estado da Pensilvânia (EUA), relatou recentemente como a força de Deus ajudou a curá-la, através do apoio da comunidade amish, grupo cristão ana batista radicado nos EUA e Canadá.
Em outubro de 2006, Charles Roberts entrou em uma sala de aula da escola amish West Nickel Mines School, na cidade de Bart Township (parte sudeste da Pensilvânia), e alinhou dez garotas contra a parede, para depois tirar a sua própria vida.
O atentado resultou na morte de cinco garotas, e mais cinco ficaram gravemente feridas. Além disso, ele consequentemente deixou uma família horrorizada e entristecida, com três filhos (todos com menos de oito anos) e a esposa Marie Monville, de 28 anos.
Sete anos se passaram e após muito sofrimento, Marie pôde experimentar "o poder da cura e a plenitude do Senhor" com o auxílio da comunidade amish e com a base cristã recebida em seu lar.
E após dividir sua história em conferências e retiros, Monville decidiu escrever o livro, sobre a maneira que a fé mudou sua vida depois da tragédia, para que outras pessoas também encontrem incentivo em sua história para recuperar-se de algum sofrimento.
"A motivação para escrever a minha história foi de conectar outras pessoas ao amor divino, para quem atualmente enfrenta situações difíceis, ou para outros obstáculos que surgem em sua vida, esta história será exemplo para tirarem o incentivo que eu encontrei com a esperança e o amor de Deus", declarou ela ao Christian Post.
Ao contar sua história, ela reconhece que já havia encontrado na fé seu caminho de salvação, mas tudo que ocorreu depois fez crescer sua confiança absoluta em Deus. Para completar, lembrou do momento em que perdeu sua primeira filha, após ser concebida prematura e morrer vinte minutos depois de nascer.
"Eu cresci em um lar cristão e já havia desenvolvido o amor pelo Senhor e laços de ligação definitiva com Ele, especialmente com as circunstâncias difíceis que eu enfrentei antes disso, como a perda da minha primeira filha, que não abalam a minha fé, e eu acho que tudo realmente fez a minha fé mais profunda e mais forte", resume ela.
Em contato comercial com os amish ao longos dos anos, Monville adentrou à comunidade durante o período em que recebeu ajuda para amenizar sua consternação, sobretudo ao confortarem seu pai na garagem da família poucas horas depois do tiroteio da escola, e assim rapidamente se familiarizou com as convicções e crenças do grupo.
E a restauração de sua vida familiar de também veio da comunidade Amish, onde conheceu seu atual marido. Hoje, ela vive com ele e seus filhos no centro da Pensilvânia.
"Tem sido realmente bela a maneira que Deus se misturou a todos nós juntos. Isso não se trata apenas dos meus filhos, que necessitam de um pai, ou eu precisando de um marido, mas o que Deus nos proporcionou para complementar um ao outro e nos apoiar mutualmente, e eu sou muito abençoada pela família que Deus me envolveu", conclui Monville.

Fonte: Diário Gospel

voltar ao topo